Book Chapter

Capítulo

Reis, J. L. (2022). Logística em negócio eletrónico. In Teixeira, S. & Freitas Santos, J. (Orgs.). Tópicos de Marketing Digital (pp. 111-161). Porto. CEOS Edições, https://doi.org/10.56002/ceos.0018ch

Imagem da linha de investigação correspondente

Logística em Negócio Eletrónico

José Luís Reis IPAM, Portuguese Institute of Marketing, Porto, Portugal

Keywords:

Palavras-chave:

Gestão da logística, componentes relacionais, gestão das componentes eletrónicas, inovação e desenvolvimento das organizações

Source Title Tópicos de Marketing Digital

Date 2022


Abstract

As empresas vivem em mercados cada vez mais competitivos e sua sustentabilidade passa por otimizarem os seus processos de gestão nas diferentes áreas funcionais. A satisfação de todas as partes interessadas de uma organização tem de ser garantida numa perspetiva de criação de valor para as mesmas. Assim, as organizações têm de investir nas componentes relacionais, com parcerias estratégicas que lhes permitam gerir melhor todos os momentos de interação com os seus clientes, nos múltiplos pontos de contato, pois os estímulos que as organizações têm prendem-se essencialmente com os momentos em que os clientes fazem as suas encomendas, bem como com a forma como as encomendas são satisfeitas, quer pela empresa que a recebe, quer pelos parceiros de negócios envolvidos. Os aspetos relacionados com a gestão da logística, desde o momento em que é feita a encomenda, a sua preparação, expedição, transporte e entrega, fazem a diferença. Hoje os clientes têm múltiplas formas de fazerem e receberem as suas encomendas, sendo a gestão das componentes eletrónicas fundamentais na gestão dos negócios. Neste sentido, os investimentos em tecnologias e sistemas de informação tornam-se um elemento chave de inovação e desenvolvimento das organizações, nomeadamente nos aspetos associados à logística. Este capítulo está organizado em sete secções que pretendem enquadrar o leitor nas áreas de conhecimento associadas à logística e à gestão da cadeia de abastecimento no negócio eletrónico. O capítulo começa com a apresentação dos fundamentos associados à logística e ao SCM; na segunda secção apresentam-se as principais caraterísticas das relações da logística com as funções de marketing e de produção, passando-se em seguida para uma secção onde são apresentados os elementos constituintes da gestão do ciclo de vida e dos custos de uma encomenda; na quinta secção deste capítulo, são apresentados os sistemas de transportes; e na sexta secção as tecnologias e os sistemas de informação utilizados na logística. Finalmente apresenta-se uma conclusão com os principais elementos que constituem o corpo de conhecimento associados à logística para o negócio eletrónico.


Citation

Reis, J. L. (2022). Logística em negócio eletrónico. In Teixeira, S. & Freitas Santos, J. (Orgs.). Tópicos de Marketing Digital (pp. 111-161). Porto. CEOS Edições, https://doi.org/10.56002/ceos.0018ch

Logística em Negócio Eletrónico
.pdf
Download PDF • 9.33MB

Título de Origem Tópicos de Marketing Digital

Data 2022


Resumo

As empresas vivem em mercados cada vez mais competitivos e sua sustentabilidade passa por otimizarem os seus processos de gestão nas diferentes áreas funcionais. A satisfação de todas as partes interessadas de uma organização tem de ser garantida numa perspetiva de criação de valor para as mesmas. Assim, as organizações têm de investir nas componentes relacionais, com parcerias estratégicas que lhes permitam gerir melhor todos os momentos de interação com os seus clientes, nos múltiplos pontos de contato, pois os estímulos que as organizações têm prendem-se essencialmente com os momentos em que os clientes fazem as suas encomendas, bem como com a forma como as encomendas são satisfeitas, quer pela empresa que a recebe, quer pelos parceiros de negócios envolvidos. Os aspetos relacionados com a gestão da logística, desde o momento em que é feita a encomenda, a sua preparação, expedição, transporte e entrega, fazem a diferença. Hoje os clientes têm múltiplas formas de fazerem e receberem as suas encomendas, sendo a gestão das componentes eletrónicas fundamentais na gestão dos negócios. Neste sentido, os investimentos em tecnologias e sistemas de informação tornam-se um elemento chave de inovação e desenvolvimento das organizações, nomeadamente nos aspetos associados à logística. Este capítulo está organizado em sete secções que pretendem enquadrar o leitor nas áreas de conhecimento associadas à logística e à gestão da cadeia de abastecimento no negócio eletrónico. O capítulo começa com a apresentação dos fundamentos associados à logística e ao SCM; na segunda secção apresentam-se as principais caraterísticas das relações da logística com as funções de marketing e de produção, passando-se em seguida para uma secção onde são apresentados os elementos constituintes da gestão do ciclo de vida e dos custos de uma encomenda; na quinta secção deste capítulo, são apresentados os sistemas de transportes; e na sexta secção as tecnologias e os sistemas de informação utilizados na logística. Finalmente apresenta-se uma conclusão com os principais elementos que constituem o corpo de conhecimento associados à logística para o negócio eletrónico.


Citação

Reis, J. L. (2022). Logística em negócio eletrónico. In Teixeira, S. & Freitas Santos, J. (Orgs.). Tópicos de Marketing Digital (pp. 111-161). Porto. CEOS Edições, https://doi.org/10.56002/ceos.0018ch

Logística em Negócio Eletrónico
.pdf
Download PDF • 9.33MB

REFERENCES

Ícone para fechar conteúdo adicional
Ícone para fechar conteúdo adicional

AMA, A. M. (2021). AMA. Obtido em 02 de 04 de 2021, de Definitions of Marketing: https://www. ama.org/the-definition-of-marketing-what-is-marketing/


Antunes, J., & Rita, P. (2008). O marketing relacional como novo paradigma – uma análise conceptual. Revista Portuguesa e Brasileira de Gestão, 36-46.


Azevedo, F., & Reis, J. L. (2019). Big Data Analysis in Supply Chain Management in Portuguese SMEs “Leader Excellence. Em Á. Rocha, H. Adeli, L. Reis, & S. Costanzo, Knowledge in Information Systems and Technologies (Vol. 931). Springer, Cham.


Ballou, R. (2004). Business Logistics/Supply Chain Management. Prentice Hall.


Bölzing, D. (2016). Responsiveness to Customers Requests. Obtido em 01 de 04 de 2021, de InINOVA: http://www.in-nova.de/responsiveness.htm


Bull, C. (2003). Strategic issues in Customer Relationship Management (CRM) implementation. Business Process Management Journal, 9(5), 592-602.


Carvalho, J. (2012). Logística e Gestão da Cadeia de Abastecimento. Lisboa: Edições Sílabo.


Carvalho, J. C., & Encantado, L. (2006). Logística e. Porto: SPI – Sociedade Portuguesa de Inovação.


Celic, L., & Magjarevic, R. (2020). Seamless connectivity architecture and methods for IoT and wearable devices. Journal for Control, Measurement, Electronics, Computing and Communications, 61(1), 21-34.


Chui, M., Manyika, J., & Miremadi, M. (2016). Where machines could replace humans—and where they can’t (yet). Obtido em 18 de 04 de 2021, de https://www.mckinsey.com/business-functions/ mckinsey-digital/our-insights/where-machines-could-replace-humans-and-where-they-cantyet


CISCO. (9 de 3 de 2020). Cisco Annual Internet Report (2018–2023) White Paper. Obtido em 4 de 4 de 2021, de https://www.cisco.com/c/en/us/solutions/collateral/executive-perspectives/annualinternet-report/white-paper-c11-741490.html


Conventry University. (2021). The five elements of logistics. Obtido em 05 de 04 de 2021, de Future Learning: https://www.futurelearn.com/info/courses/principles-global-management-logisticsassets/0/steps/65243


CSCMP. (2016). CSCMP Supply Chain Management Definitions and Glossary. Obtido em 04 de 03 de 2021, de CSCMP : https://cscmp.org/CSCMP/Academia/SCM_Definitions_and_Glossary_of_ Terms/CSCMP/Educate/SCM_Definitions_and_Glossary_of_Terms.aspx


EM360. (20 de 10 de 2020). Top 10 ERP Software. Obtido em 11 de 04 de 2021, de Enterprise Management 360: https://em360tech.com/top-10/top-10-erp-software


Ferreira, B. (2018). Total Cost of Ownership: as variáveis e implicações de um processo de compra – Um estudo aplicado na empresa Sogrape Vinhos, S.A. . Dissertação de Mestrado em Economia e Administração de Empresas. Faculdade de Economia da Universidade do Porto.


FIA. (2 de 3 de 2021). Marketing 5.0: O que é, objetivos, exemplos e como aplicar. Obtido em 4 de 4 de 2021, de FIA – Fundação Instituto de Administração: https://fia.com.br/blogue/marketing-5-0/


Gartner. (2019). 4 Key Insights From the Gartner Hype Cycle for CRM Sales Technology, 2019. Obtido em 10 de 04 de 2021, de Gartner: https://www.gartner.com/smarterwithgartner/4-keyinsights-gartner-hype-cycle-crm-sales-technology-2019/


Gleissner, H., & Femerling, C. (2013). Logistics – Basics — Exercises — Case Studies. Berlin: Springer.



Global Commerce Initiative, Capgemini. (2008). 2016 Future Supply Chain. Obtido em 15 de 04 de 2021, de Capgemini: https://www.capgemini.com/wp-content/uploads/2017/07/tl_Future_ Supply_Chain_2016.pdf


Gorry, G., & Michael, M. (1989). A framework for management information systems. Sloan Management Review (61), 21-36. Obtido de https://web.archive.org/web/20030614170155/

http://mis.njit.edu/ullman/cis465/Articles/gorry.pdf


GS1 Portugal. (2021). Mais valor para o seu negócio. Obtido em 12 de 04 de 2021, de GS1 Portugal: https://gs1pt.org/os-nossos-servicos/


Gummesson, E. (1996). Relationship marketing and imaginary organizations: a synthesis. European Journal of Marketing, 10(2), 31-44.


Gummesson, E. (2002). Total Relationship Marketing (2ª ed.). Oxford: Butterworth_Heinemann.


Hall , R., & Partyka, J. (2008). On the Road to Mobility. Obtido em 08 de 04 de 2021, de Informs: https://www.informs.org/ORMS-Today/Archived-Issues/2008/orms-2-08/On-the-Road-toMobility


Handfield, R., Nichols, E., & Nichols, E. (1999). Introduction to Supply Chain Management. Prentice Hall.


Hippold, S. (30 de 09 de 2020). 5 Trends From the Gartner Hype Cycle for Supply Chain Strategy, 2020. Obtido em 15 de 04 de 2021, de Gartner: https://www.gartner.com/smarterwithgartner/5- trends-from-the-gartner-hype-cycle-for-supply-chain-strategy-2020/


Jain, V., Wadhwa, S., & Deshmukh, S. (2009). Revisiting information systems to support a dynamic supply chain: issues and perspectives. Production Planning & Control, 1, 17-29.


Kabak, Ö., Ülengin, F., & Ekici, Ş. (2018). Connecting logistics performance to export: A scenariobased approach. Research in Transportation Economics, 70, 69-82.


Kotler, P. (2009). Marketing Para o Século XXI. Como Criar, Conquistar e Dominar Mercados. Brasil: Ediouro.


Kotler, P., Setiawan, I., & Kartajaya, H. (2010). Marketing 3.0 As Forças que estão definindo o novo Marketing centrado no ser humano. Actual Editora.


Kotler, P., Setiawan, I., & Kartajaya, H. (2017). Marketing 4.0 – Mudança do tradicional para o digital. Actual Editora.


Kotler, P., Setiawan, I., & Kartajaya, H. (2021). Marketing 5.0 Technology For Humanity. John Wiley & Sons INC.


KPMG Capital. (2014). Going Beyond the Data: achieving actionable insights with data and analytics. Obtido em 15 de 04 de 2012, de KPMG: https://assets.kpmg/content/dam/kpmg/ pdf/2015/04/going-beyond-data-and-analytics-v4.pdf


Lambert, D., Stock, J., & Ellram, L. (1998). Fundamentals of Logistics Management. Burr Ridge, USA: Irwin/McGraw-Hill.


Laudon, K., & Laudon, J. (2020). Management Information Systems: Managing the Digital Firm, Global Edition (16ª ed.). London, UK: Pearson.


Li, X. (2014). Operations Management of Logistics and Supply Chain: Issues and Directions. Discrete Dynamics in Nature and Society, 2014, 1-7.


Mathirajan, M., Manoj, K., & Ramachandran, V. (2011). A design of distribution network and development of efficient distribution policy. International Journal of Logistics Systems and Management, 9(1), 108-137.


McCrea, B. (15 de 07 de 2019). 2019 Top 20 Supply Chain Software Suppliers. Obtido em 11 de 04 de 2021, de Supply Chain 24/7: https://www.supplychain247.com/article/2019_top_20_supply_ chain_software_suppliers/technology


McKinsey & Company. (01 de 2020). Future of retail operations: Winning in a digital era. Obtido em 16 de 05 de 2021, de McKinsey & Company: https://www.mckinsey.com/~/media/McKinsey/ Industries/Retail/OurInsights/FutureofretailoperationsWinning20in20adigitalera/McK_ Retail-Ops-2020_FullIssue-RGB-hyperlinks-011620.pdf


MIT Center for Transportation & Logistics and Council of Supply Chain Management Professionals. (2020). State of Supply Chain Sustainability 2020. MIT, Center for Transportation & Logistics, Cambridge.


Pang, A., Markovski, M., & Markov, A. (4 de 11 de 2020). Top 10 CRM Software Vendors, Market Size and Market Forecast 2019-2024. Obtido em 10 de 04 de 2021, de Apps Run the World: https://www.appsruntheworld.com/top-10-crm-software-vendors-and-market-forecast/


Pearson, M. (2008). Prioritizing edge over node: process control in supply chain networks and push-pull strategies. Journal of the Operational Research Society volume, 59, 494-502.


Pinto, l. (27 de 3 de 2021). Concorrência asiática põe em risco máscaras ‘made’ in Portugal. Obtido em 4 de 4 de 2021, de Dinheiro Vivo: https://www.dinheirovivo.pt/economia/concorrenciaasiatica-poe-em-risco-mascaras-made-in-portugal-13504339.html


Porter, M., & Heppelmann, J. (2014). How smart, connected products are transforming competition. Harvard Business Review, 92(11), 64-88.


Pratas, J., & Quelhas de Brito, P. (2019). Distribuição, gestão de pontos de venda e de retalho. Coimbra: Actual.


Rabe, M., Clausen, U., Klueter, A., & Poeting, M. (2017). An approach for modeling collaborative route planning in supply chain simulation. 2016 Winter Simulation Conference (WSC), 2228- 2238.


Rushton, A., Baker, P., & Croucher, P. (2017). The Handbook Of Logistics And Distribution Management – Understanding The Supply Chain (6ª ed.). London, UK: Kogan Page LTD.


Santos, N., Barbosa, D., Maia, P., Fernandes, F., Rebelo, M., Silva, P., Machado, J. (2016). iFloW: An Integrated Logistics Software System for Inbound Supply Chain Traceability. Em S. I. Publishing (Ed.). Obtido em 12 de 04 de 2021, de http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/43104


Sonia Irshad Mari, Y. H. (2015). Complex network theory-based approach for designing resilient supply chain networks. International Journal of Logistics Systems and Management, 21(3), 365-384.


Stiglitz, J. (2002). Globalization and its discontents. New York, USA: W. W. Norton and Company.


Stock, J. R. (2002). Marketing myopia revisited: lessons for logistics. International Journal of Physical Distribution & Logistics Management, 32(1), 12 – 21.


Strauss, J., & Frost, R. (2013). e-Marketing (7ª ed.). Prentice Hall.


Suresh, S., & Vasantha, S. (2018). Influence of 7R in Logistics Industry towards Customer. International Journal of Engineering & Technology, 7(4.39), 977-979.


Turban, E., Sharda, R., & Delen, D. (2011). Decision Support and Business Intelligence Systems (9ª ed.). Prentice Hall.


Um, J. (2017). The impact of supply chain agility on business performance in a high level customization environment. Operations Management Research, 10, 10-19.


Waller, M., & Fawcett, S. (2013). Data science, predictive analytics, and big data: a revolution that will transform supply chain design and management. Journal of Business Logistics, 34(2), 77-84.


Yuva, J. (2002). Collaborative Logistics: Building a United Network. Inside Supply Chain Management, 13(5), 50.

88x31.png

This is open access content distributed under the Creative Commons Attribution License which permits unrestricted use, distribution, and reproduction in any medium, provided the original work is properly cited.